13 de maio de 2013

CANÁRIOS DE PORTE DE "A" a "Z" GIBBER ITALICUS


País de origem: Itália

O Gibber Italicus, um canário com caraterísticas muito sui generis, integra o Grupo III dos Frisados Ligeiros com posição específica e teve a sua origem em Itália, no século XX no início dos anos 50, por seleção de cruzamentos consanguíneos continuados, do Frisado do Sul, entre aves intensas o que originou o aparecimento de aves cada vez mais pequenas e com a plumagem, também, mais escassa tornando-se mesmo ausente em algumas zonas no corpo da ave nomeadamente no contorno dos olhos e nas coxas e inclusive e com alguma frequência no peito em virtude das penas do Jabot serem ralas e curtas, levando a que alguns criadores ingleses designassem o canário por strip-tease canary (canário strip-tease) precisamente pelo desnudamento de partes do corpo.  
Ao que se sabe os primeiros exemplares foram apresentados nas 3.ª Exposição de Reggio Emilia, Itália, em Novembro de 1950, provenientes de uma senhora criadora, residente em Como, de seu nome Maria Giammiola, que veria o reconhecimento internacional definitivo da raça em 1951.
Dadas as características deste canário, até pelo seu aspeto frágil e desengonçado, esta ave não conta com grandes apreciadores apesar de em quase sempre aparecerem exemplares a concurso, sobretudo, nas grandes exposições.

Nota: Esta pequena introdução, (não vinculativa) tem como base uma pequena pesquisa feita pela Internet suportada na leitura de vários textos.


Não são referidos os autores das fotos por as mesmas se encontrarem publicadas em diversos locais diferentes sem o nome do respetivo autor.

Atualmente o Standard, do Canário Gibber Italicus, aprovado pela C.O.M., é o seguinte:

CABEÇA E PESCOÇO
Cabeça: serpentiforme, muito pequena e lisa.
Pescoço: O mais longo e o mais liso possível, ligeiramente encurvado.
Pontuação: 15.

POSIÇÃO
Com permanência em forma de 7.
A cabeça e o pescoço descendente mais baixo que os ombros.
A cabeça e o pescoço formam um ângulo de quase 90º com o corpo.
Pontuação: 15.

ALETAS
Curtas e simétricas, levantadas em direção aos ombros sem os tocar.
Pontuação: 10.

PATAS E COXAS
Longas e o mais perpendicular possível, com uma ligeira inclinação para trás.
As coxas desnudadas frontalmente.
O tarso é perpendicular ao “pé” sem formar um ângulo com o “calcanhar”.
Pontuação: 10.

MANTO   
Repartido simetricamente e bem aderente às asas.
Pontuação: 10.

JABOT
Pequeno, curto e simétrico.
O esterno é coberto de penas curtas e a parte desnudada do esterno está situada abaixo da garganta.
Em forma de vírgula.
Pontuação: 10.

TAMANHO
Comprimento 14 a 15 cm.
Proporções perfeitas.
Pontuação: 10.

PLUMAGEM
Pobre e dura, abdómen liso.
Unicamente exposto em intenso e plumagem curta.
Pontuação: 5.

CAUDA
Vertical, estreita, homogénea e completa.
Pontuação: 5.

ASAS
Regulares e bem aderentes ao corpo.
Pontuação: 5.

CONDIÇÃO
Ativo e em boas condições.
Pontuação: 5.

COR
São admitidas todas as cores.

Gaiola de Cúpula: Com um poleiro de 12 mm.

Sem comentários:

Enviar um comentário