19 de agosto de 2011

COMO AUMENTAR O TAMANHO DOS CANÁRIOS

O Canário Arlequim Português é uma ave que face ao atual Standard deve obedecer ao tamanho de 16 cm, devendo em exposições ser penalizada em consonância se o tamanho for inferior e/ou superior aos 16 cm.

Porque é frequente encontrarmos canários arlequim que saiem do padrão standardizado, em termos de tamanho, ou demasiado curtos ou demasiado compridos,  para além de outros defeitos visíveis a olho nu como por exemplo canários com peito demasiado redondo típico dos canários de cor, publico com autorização do autor, o Juiz de Canários de Porte CNJ/OMJ e Juiz de Canários de Cor Carlos Lima, um texto elucidativo sobre como se obter o aumento do tamanho dos canários.
"...Para algumas raças de canários de forma e postura, é muito importante procurarmos aumentar o tamanho do nosso plantel e melhorar a sua forma. 
Muitos criadores procedem através dos cruzamentos executar esta tarefa, acasalando as aves mais corpulentas. 
Mas o tamanho é uma característica muito complexa, pois depende de diversos fatores:
  1. Hereditariedade
  2. Alimentação
  3. Ambiente
  4. Seleção


HEREDITARIEDADE
A característica do tamanho não é apenas controlada por um gene (outras características das nossas aves são controladas apenas por um gene – cor, poupa, etc.), mas sim por um conjunto de genes. 

Assim se explica o porquê da consanguinidade provocar uma redução do tamanho nas aves (menor diversidade de genes, menor o tamanho) sendo apenas mais um dos motivos para a evitarmos (a consanguinidade apenas pode ser útil quando pretendemos fixar uma mutação). 

A pouca diversidade dos genes também tem consequências (pelos mesmos motivos) na forma das aves. 


Deve portanto um criador introduzir novas aves no seu plantel, para manter a diversidade genética. 

No entanto a aves a introduzir devem ser portadoras do património genético pretendido e que não pertencem à mesma linhagem familiar.

ALIMENTAÇÃO
Deve ser muito rica e variada, evitando a carência de vitaminas, aminoácidos e outros componentes, que também provocam a diminuição do tamanho. A mistura de sementes adquiridas normalmente nas lojas comerciais, são insuficientes pois muitas delas são desequilibradas.
As proteínas desempenham uma função importante nos acasalamentos. A metionina contém o zolfo, melhorando a qualidade da plumagem.
As sementes frescas, o germinado, fruta, proteína animal, e uma papa de qualidade com uma percentagem de proteína entre os 16% a 18% são elementos indispensáveis para obtermos aves de qualidade.

AMBIENTE
Uma boa higiene e alojamentos espaçosos devidamente arejados, são condições para noa permitir um bom desenvolvimento do tamanho. A experiência demonstra-nos que a criação em espaços grandes (voadeiras) torna as aves mais robustas e com melhor desenvolvimento do seu esqueleto em relação a outras criadas em espaços pequenos, independentemente do tipo de alimentação ministrada.

As aves criadas em espaços grandes além de serem mais fortes e robustas têm uma plumagem mais brilhante e sedosa.
Outro pormenor importante é que as aves em comunidade adquirem efeitos estimulantes para uma alimentação plena.

As baixas temperaturas no local de criação produzem nos canários um efeito de aumento substancial do peso, devido estas procurarem assiduamente os alimentos.
Outro factor importante é sem dúvida a iluminação no canaril. Quanto maior o número de horas de luz (dias maiores) mais tempo os progenitores se dedicam à alimentação das crias.
No entanto não nos serve de nada aumentar o número de horas de luz, se não proporcionarmos às nossas aves uma alimentação variada e equilibrada, e o espaço não tenha as normas de higiene mínimas para a criação.

Também não nos devemos esquecer que as aves necessitam de um número de horas mínimo para descansarem, e ficarem prontas para outro dia de criação.

SELEÇÃO
A seleção rigorosa e criteriosa das aves de maior tamanho é muito importante. As fêmeas maiores têm tendência a pôr ovos maiores. Um ovo maior é mais rico em reservas proteicas, dando origem a crias mais fortes e resistentes.
Os machos maiores têm já o património genético do tamanho grande para transmitirem às crias..."


Eu já há cerca de quatro anos que, para além de alguns cuidados com a alimentação dos canários, utilizo o método descrito pelo Juiz Carlos Lima no item seleção pois venho descartando os exemplares nascidos demasiado curtos ou demasiado compridos, cruzando apenas os exemplares que se encontram dentro do tamanho preconizado.

2 comentários:

  1. Cada día me quedo mas sorprendido con este tipo de canarios. Gracias Armindo por divulgar todas estas cosas sobre esta hermosa raza de canarios. Saludos

    ResponderEliminar
  2. Quando eu criava canários, não tinha assim tanta informação. Parece fácil mas é preciso uma força de vontade e muita paciência.
    Estar informado é muito importante, grato por tudo.
    Abraço

    ResponderEliminar